Picada de insetos pode transmitir HIV



MENTIRA!
     As picadas de artrópodes (insetos, aracnídeos, entre outros) podem transmitir várias doenças, como a malária e a dengue. Porém o HIV, vírus considerado por quase todos os especialistas como o causador da AIDS, não é transmitido através de uma picada de um pernilongo, por exemplo. Vejamos os motivos:

1 - A quantidade de sangue que o inseto suga de uma pessoa infectada é muito pequena e insuficiente para contaminar outra, ou seja, estatisticamente, o mosquito teria que picar inúmeras pessoas infectadas para "sugar" um único vírus (pois, com os tratamentos atuais, o HIV é encontrado em baixíssima concentração no sangue). Porém, como o pernilongo se alimenta de pouco sangue, apenas uma pessoa picada já é uma farta "refeição" para ele (ou melhor, para ela, pois só as fêmeas se alimentam de sangue).

2 - O sangue "sugado" não é injetado no momento da picada, o que reduz ainda mais as chances de transmissão viral.

3 - O vírus da dengue e o protozoário da malária possuem mecanismos que impedem que sejam destruídos no "aparelho digestivo" dos insetos. Assim, conseguem se reproduzir e migram para as glândulas salivares do animal. No momento da picada, esses microrganismos são transmitidos à vítima. Porém, o HIV não tem essa capacidade e é inativado rapidamente, não sendo encontrado na saliva (ela sim, é injetada na pessoa picada) do mosquito.

4 - O HIV só atinge alguns tipos de células do nosso Sistema Imunológico (que precisam ter um receptor específico), que não existem nos insetos. Portanto, não consegue infectar o mosquito, tendo uma sobrevida curta no animal.

     Obs: Se alguém ainda tiver dúvidas, basta observar os dados epidemiológicos sobre HIV/AIDS na África. As áreas de maior concentração de insetos (zonas rurais) são geralmente as que têm o menor número de pessoas infectadas.

Autor: Wésley de Sousa Câmara